fbpx

Valorizamos seu negócio

Instituições de ensino têm como um de seus principais desafios atrair mais alunos para matrícula. Para solucionar esse problema, a maioria investe no marketing educacional, que é um grande aliado de escolas e universidades.

O que você vai encontrar nesse artigo sobre marketing educacional

  1. O que é o marketing educacional?
  2. Benefícios do marketing educacional
  3. Por que fazer marketing educacional?
  4. Como fazer marketing educacional

O que é o marketing educacional?

O marketing educacional é um conjunto de ações estratégicas para atração e fidelização de clientes, com foco em prospectar leads (pessoas interessadas no serviço) e convertê-los em matrículas.

Por meio do marketing educacional, a empresa consegue* novos alunos / matrículas, além de criar uma comunidade e fidelizar seus clientes, que se tornam evangelizadores da marca.

*lembre-se que o Marketing Educacional precisa estar sem sintonia com outras estratégias que sua empresa precisa também esta fazendo

Resumidamente, os evangelizadores são pessoas que divulgam gratuitamente a escola ou universidade, que consegue prospectar novos clientes sem gastar diretamente para isso.

Benefícios do marketing educacional

O marketing educacional é uma estratégia repleta de benefícios em curto, médio e longo prazos. A instituição de ensino que investe nele consegue:

Melhora da comunicação e posicionamento

O marketing educacional possibilita que a empresa adote uma estratégia de comunicação focada em posicioná-la de acordo com seus objetivos, transmitindo seus valores à sua persona, com apresentação de seus pontos positivos e seus diferenciais.

Por exemplo, um dos diferenciais de sua escola é trabalhar com um método de ensino específico?

Então, a estratégia de comunicação deve ser voltada a posicionar a empresa nesse segmento, tendo melhor assertividade nas ações e maior sucesso na captação de alunos.

Aumento o número de matrículas

Um dos principais benefícios da estratégia é a divulgação da marca e seus cursos, dando-lhes visibilidade e atingindo um público maior, de modo a atrair mais potenciais clientes e aumentar a taxa de conversão, com elevação do número de matrículas.

Consequentemente, a instituição de ensino gera mais receita e tem um melhor ROI (Retorno sobre Investimento), auxiliando expressivamente em seu crescimento.

Construção de comunidade

O marketing educacional também permite que a instituição de ensino construa uma comunidade, principalmente quando desenvolve ações que estimulem o engajamento de alunos, pais e responsáveis legais dos estudantes.

Tais ações contribuem para que clientes e potenciais alunos desenvolvam uma imagem de qualidade, de cuidado e de busca e oferecimento de uma melhor formação, o que cria e fortalece relacionamentos, gerando novos negócios naturalmente.

Destaque em relação à concorrência

Com o passar dos anos, o número de instituições de ensino, tanto básico como superior, explodiu. Por isso, a competição se tornou ainda mais acirrada e é preciso ter um diferencial para captar novos clientes.

O marketing educacional é justamente esse diferencial que a escola ou universidade precisa. Uma estratégia bem estruturada possibilita que a empresa se posicione adequadamente, tendo mais projeção no mercado.

Dessa forma, a instituição de ensino consegue mostrar seus valores de maneira mais assertiva, bem como se comunicar melhor com seu público, destacando-se entre os concorrentes.

Lembrança da marca

O investimento em marketing educacional gera um benefício especial que muitos buscam como:

Por que fazer marketing educacional?

O marketing educacional é importante para toda instituição de ensino porque possibilita que a marca se destaque entre os concorrentes e consiga novas oportunidades de negócio.

Trata-se de um investimento com excelente custo-benefício, com elevada chance de sucesso e bom retorno sobre o investimento, desde que as ações sejam executadas corretamente, de forma a diferenciar a empresa e posicioná-la corretamente.

Nesta hora muitas empresa falham pois investem apenas marketing educacional e abandonam outra áreas de instituição, como:

Como fazer marketing educacional

Toda a estratégia e ações de marketing educacional devem ser estratégicas e personalizadas à instituição de ensino. Existem diferentes etapas que a empresa deve seguir, como:

Estabelecer parceria com uma agência especializada em marketing educacional

Não se pode crescer sem ajuda externa!

Toda empresa precisa de apoio para seguir crescendo

Contar com uma assessoria / consultoria especializada faz toda a diferença desde o planejamento até a execução de uma estratégia.

Não arrisque fazer tudo sem ajuda de um time especializado!

Elaboração de um planejamento

Sem um planejamento, a chance de sua ação de marketing educacional dar errado é alta.

O planejamento possibilita que a empresa estabeleça objetivos e o caminho para atingi-los, bem como métricas para acompanhamento de resultados.

Também funciona como um guia e permite que toda a equipe de marketing esteja alinhada com os objetivos e ações a serem executadas. Vale lembrar que embora funcione como um guia, o planejamento não é estático.

Isso significa que a empresa pode adaptá-lo conforme executa a ação de marketing educacional, identificando o que funciona e o que precisa de aprimoramento para gerar os resultados que deseja.

Conhecimento da persona

Um dos primeiros passos para uma campanha de marketing educacional bem-sucedida é conhecer sua persona, ou seja, seu cliente ideal. O motivo disso é simples: assim, sabe-se exatamente com quem se quer falar, a pessoa que deseja atingir.

Esse é um ponto fundamental porque aumenta a assertividade da ação de marketing educacional, com maior direcionamento e sucesso em taxas de captação e conversão em matrículas.

Criação de conteúdo de qualidade

O conteúdo de qualidade permite que a instituição de ensino capte e nutra leads, educando-os e estimulando, ainda que sutilmente e de forma não invasiva, a realizar uma ação, como a matrícula.

Lembre-se sempre que a maioria dos pais e alunos não têm conhecimento sobre métodos de ensino, como funcionam processos de aprendizagem, como são cursos de formação, entre outros.

Para sanar essas e outras dúvidas eles utilizam motores de busca, como o Google.

Se sua instituição de ensino oferecer um conteúdo que responda essas questões e dê conhecimento relevante para o leitor, as chances de captá-lo como lead ou cliente são altíssimas.

Por isso, não deixe de produzir e divulgar conteúdo de qualidade. Ele ajudará sua instituição de ensino a ter maior visibilidade na internet, a atrair interessados, a criar e fortalecer relacionamentos, bem como a fechar matrículas.

Ao criar o conteúdo, considere sua persona, suas dores e necessidades. Esse conteúdo pode ser divulgado em diferentes canais, como em blog, redes sociais, e-mail marketing, redes de pesquisa como Google, entre outros.

Mensuração de resultados

A mensuração de resultados deve ser uma preocupação constante da equipe, seja durante ou depois de uma campanha. Ao realizá-la no desenrolar da ação, a empresa consegue corrigir pequenos desvios rapidamente e realizar adaptações para ter um melhor resultado.

Depois da ação, mensurar é interessante para munir a empresa de informações sobre os principais pontos fortes e fracos, para trabalhá-los corretamente em outras campanhas.

Reposicionamento de marca, não há como fugir: toda marca passa, em algum momento, por um processo de reposicionamento, desde as de pequeno até as de grande porte, seja total ou parcialmente.

Ainda não conhece o reposicionamento de marca? Sem problemas! Aqui, esclarecemos o que é, o porquê de ser tão importante para a estratégia da empresa, como e quando adotá-lo. Confira!

O que é reposicionamento de marca?

O reposicionamento de marca, também chamado de rebranding, é um conjunto de ações que têm como objetivo modificar o posicionamento de uma marca no mercado.

Essa estratégia é voltada a mudar a imagem que os consumidores têm da marca, criando uma identidade nova, inclusive uma percepção nova, para gerar maior identificação.

Para isso, a marca promove uma série de mudanças que envolvem desde a imagem até a comunicação, modificando mensagens para refletir os valores sociais de suas personas.

O reposicionamento da marca pode ser feito de forma integral ou parcial. Mas, atenção para um detalhe: a essência da marca será sempre a mesma, o que muda é seu posicionamento.

Por que o reposicionamento de marca é importante?

O reposicionamento é extremamente importante porque possibilita mudar a percepção do público sobre a marca, mantendo-a atualizada e em destaque entre seus concorrentes. Além disso, também mostra que a marca está em evolução.

Como consequência, os resultados são maior visibilidade no segmento de atuação, atração de novos clientes aumento das possibilidades de novos negócios e assim viabilizando o crescimento da marca.

Reposicionamento de marca: o que é, porque é importante, como e quando fazer

Quando reposicionar a marca?

Existem vários momentos nos quais o reposicionamento da marca é uma excelente alternativa. A seguir, listamos os mais comuns:

De modo geral, recomenda-se que o reposicionamento de marca seja adotado em situações que exigem mudança da empresa, para adequação ao mercado e seus consumidores, de forma a gerar mais engajamento e ter resultados financeiros expressivos.

Como reposicionar uma marca?

O reposicionamento da marca é um processo de mudança que precisa acontecer de maneira organizada, planejada e alinhada, abrangendo desde elementos visuais até a comunicação.

Há diferentes etapas que compõem o rebranding e quase toda marca passa por elas. Conheça, a seguir, quais são e suas principais características e importância:

Análise

Trata-se da primeira etapa e uma das mais importantes, porque é nela que se reconhece um problema ou uma oportunidade para marca, com um diagnóstico completo de seu cenário atual e identificação de pontos fortes e fracos.

Leia nossa artigo sobre SWOT e avalie os pontos forte e fracos do seu negócio!

Procure realizar um mapeamento e coleta de informações interna e externamente, tanto com colaboradores, clientes e análise da concorrência. Dessa forma, será possível identificar oportunidades de melhoria e inovação, sabendo exatamente o que mudar.

Alteração de identidade visual

O reposicionamento da marca também pode passar pela mudança da identidade visual, que vai muito além de uma simples alteração no logo. A marca deve pensar em cores, design usado em diferentes plataformas e fontes.

Quando se trabalha com uma mudança na identidade visual, demais alterações acabam acontecendo em efeito cascata, com modificações tanto no produto como em plataformas que a marca atua.

Mudança da estratégia de comunicação

A marca também deve mudar sua estratégia de comunicação, com adaptação à sua persona. É preciso conhecer exatamente qual é o seu cliente ideal, quais são suas dores, canais que mais utiliza, entre outras características pontuais.

Dessa forma, a marca conseguirá atingir exatamente o público que deseja e seu reposicionamento será mais efetivo, com comunicação alinhada às expectativas da persona.

Leia nossa artigo: Criando uma persona ideal e vire o jogo do seu marketing digital

Conte que a marca mudou

Fazer com que o público da marca saiba que ela mudou é essencial para criar relacionamentos de confiança, gerar reconhecimento e engajamento.

Portanto, possibilite que seu público conheça o novo posicionamento da marca, o que pode ser feito por meio de canais variados, como redes sociais, blog, site institucional e e-mail marketing.

Essa ação permite que a marca expresse claramente sua preocupação com a evolução e com seu próprio público, ajudando a construir e manter um relacionamento mais transparente.

Monitoramento de resultados

Não basta se reposicionar, é fundamental também monitorar os resultados do rebranding. Por isso, tenha métricas de antes e depois do reposicionamento, para avaliar o impacto dessa ação e se realmente está trazendo os resultados desejados.

Com esse monitoramento dá para corrigir eventuais desvios durante a execução da estratégia de rebranding, realizando adaptações e melhorias necessárias para atingir os objetivos da marca.

Cases de sucesso de reposicionamento de marca

Grandes marcas nacionais já se reposicionaram e tiveram sucesso, com ampliação de clientes e crescimento expressivo no mercado. Veja, a seguir, dois cases:

Natura

A Natura investiu no reposicionamento de marca para crescer no mercado e ser reconhecida por seus valores de inovação e sustentabilidade. Para isso, iniciou um processo de mudança que impactou diversas áreas.

Criou um logotipo novo que transmitia modernidade, movimento e reforçava o natural e sustentabilidade. Também atualizou seus principais canais, sempre de forma gradativa, para gerar aceitação do público.

Relembrou seu conceito de sustentabilidade em seus produtos, reformulando alguns, de modo a torná-los ainda mais brasileiros, com uso de matéria-prima nacional obtida de forma ecologicamente correta, além de apoiar iniciativas de reflorestamento e banir testes em animais.

O novo posicionamento possibilitou o crescimento expressivo da marca, tanto nacional como internacionalmente, com produtos reconhecidos pela qualidade, tecnologia e compromisso com práticas comerciais éticas e sustentáveis.

Melissa

O reposicionamento da Melissa, marca de calçados de plástico, tem a ver com ampliação de seu público. Durante décadas, foi uma marca destinada a crianças e adolescentes.

Então, decidiu expandir seu alcance e possibilidade de venda, incluindo mulheres. Para isso, criou um logotipo novo e calçados conectados em tendências, mudou sua comunicação e buscou parcerias com marcas do mundo fashion internacional.

O resultado foi expressivo: ganhou visibilidade nacional e internacional, além de reconhecimento como uma marca de moda feminina atual, vendendo mais.

Gosto desse artigo?

Compartilhe com seus amigo que precisam conhecer sobre reposicionamento de marca